Como Deus Revela Sua Vontade - Parte 1

de Max Lucado

 



 

Você já queria saber como Deus revela sua vontade? Quais as maneiras? Como é que Ele mostra isso para nós? Hoje começamos uma série de quatro mensagens especiais de Max Lucado sobre como conhecer a vontade de Deus. Não perca cada postagem e a imagem especial de Jeremias 29:11

“Seja feita Sua vontade…”

Se a cena não fosse tão comum, seria cômica. Dois discípulos de corações pesados andavam desanimadamente no caminho de volta a Emaús. Se dependesse de suas posturas cabisbaixas, ninguém diria que hoje era o Domingo da Ressurreição. Pela expressão em seus rostos você pensaria que Jesus ainda estava no túmulo. “Nós esperávamos que Ele libertaria Israel”, assim lamentavam (Lucas 24:21).

Como se Ele não tivesse feito isto! Como estar tão perto de Jesus e não compreender? Jesus acabara de redimir o mundo e eles estão reclamando de Roma? Jesus veio para resolver o problema de pecado e morte – e eles querem que Ele cuide do problema com César e os soldados? Jesus veio para nos libertar do inferno – e eles querem se ver livres dos impostos?

Isso é que é problema de comunicação! Eles deixaram de ver a revolução!

Eu cometi o mesmo erro no mês passado. A revolução que eu perdi não foi a mesma que os discípulos perderam, mas deu no mesmo.

As colônias da Nova Ingleterra nunca mais foram as mesmas depois da Festa do Chá em Boston. A Europa nunca mais foi a mesma após a Batalha da Normandia. A Igreja nunca mais foi a mesma depois que Lutero pregou suas noventa e cinco teses na porta de Wittenburg. E minha vida jamais será a mesma agora que e-mail entrou no nosso escritório.

Os pensadores modernos da igreja vinham defendendo essa mudança a meses. “Pense”, diziam eles, “Basta mover o cursor, clicar o mouse, e a mensagem é enviada.”

Isso é fácil para eles. Eles falam computadorês, mas eu não. Até pouco tempo atrás, eu pensava que cursor era a pessoa que chamava palavrão, e que mouse era um roedor que a gente pegava. Eu achava que logging-on era a função do lenhador, e que monitor era o cara que lhe perguntava o que você estava fazendo quando vagava nos corredores da escola durante a aula.

Como eu poderia saber que interface era um termo para computador? Eu pensava que era um gíria para enterrar a bola na cesta num jogo de basquete (Interface, baby!). Perdoe-me por me deter tanto, mas um cara só pode “processar” até certo ponto. Aconteceu de repente. Eu fui dormir numa sociedade de recadinhos de papel e acordei numa cultura que trocou o papel pelo e-mail. Dá pra imaginar o quanto fiquei confuso quando todo mundo começou a tagarelar com este novo vocabulário. “Eu lhe enviei um documento por e-mail que encontrei no www.confusão.com. Por que você não baixa seu bat.file no meu subdiretório e a gente tem um chat pela internet?”

Qual era o problema com “Você recebeu meu bilhete?”

Eu tenho saudades dos tempos antigos. Eu sinto falta da “era passada” na qual a caneta tocava o papel e bilhetes eram pregados na minha porta. Eu anseio por ver anotações escritas à mão de novo e receber aqueles “enquanto você estava fora” recados.

Mas mudança era inevitável e, sob protestos, eu fui sugado para o mundo do e-mail. Em parte porque eu estava ocupado demais, mas principalmente por teimosia, eu procrastinei para aprender sobre o sistema. Todos os dias o computador bipava para me alertar a respeito de mensagens na caixa de entrada. E todos os dia os números cresciam. “Max Lucado tem 10 mensagens não lidas na sua caixa de entrada.” “Maz Lucado tem 52 mensagens não lidas na sua caixa de entrada.””Max Lucado tem 93 mensagens não lidas na sua caixa de entrada.”

Finalmente eu me rendi. Depois de ser cuidadosamente ensinado e de dominar o clique duplo do hamster (quero dizer, do mouse), eu me deparei com um mundo cheio de informação, tudo esperando por mim. Havia uma carta da África, uma piada sobre pregadores, cerca de uma dúzia de avisos sobre reuniões (eu tinha faltado – Opa!). Dentro de poucos minutos eu fiquei atualizado, informado e, vou admitir, iluminado. Por mais que eu não queira dizer isto, foi bom receber mensagens de novo.

O que deve ter sido mais ou menos o que os dois homens da estrada de Emaús sentiram. Eles também haviam perdido algumas informações. Também estavam confusos. Entretanto, haviam perdido mais do que um documento ou um aviso sobre uma reunião. Eles haviam deixado de compreender o significado da morte de Jesus. O que deveria ter sido um dia de alegria, para eles foi um dia de desespero. Por quê? Eles não sabiam como entender a vontade de Deus.

Eles não estão sozinhos. Alguns de nós já passamos horas olhando para o monitor da vida tentando descobrir que direção tomar. Sabemos que Deus tem uma vontade para nós. “Eu tenho bons planos para você, não planos para lhe causar dano. Eu lhe darei esperança e um bom futuro”(Jeremias 29:11).

Deus tem um plano e o plano é bom. A questão é, como ter acesso a ele? Parece que algumas pessoas recebem orientação; como eu consigo?

Uma das melhores maneiras de responder esta pergunta é estudando a história desses dois discípulos confusos na estrada para Emaús. E eu não sei que hora seria melhor do que esta, quando entramos na próximo cômodo da Grande Casa de Deus e oramos, “Seja feita a Sua vontade.”

O ESTÚDIO

Seguindo um pouco mais adiante depois da capela está uma sala livre de televisores, sistemas de som, e computadores cheios de e-mails com vírus. Imagine um estúdio com estantes cobrindo as paredes, um tapete bordado no chão e um fogo convidativo na lareira. Em frente à lareira estão duas grandes poltronas, uma para você e outra para seu Pai. A sua está vazia, e seu Pai sinaliza para você se sentar perto dele. Venha, sente-se e pergunte sobre qualquer coisa que estiver no seu coração. Nenhuma pergunta é pequena demais, nenhum enigma é simples demais. Ele tem todo o tempo do mundo. Venha e busque a vontade de Deus.

Orar “Seja feita a Sua vontade” é buscar o coração de Deus. A palavra vontade significa “forte desejo”. No estúdio é que aprendemos o que Deus deseja. Qual é o Seu coração? Sua paixão? Ele quer que você o saiba.

Deus vai esconder de nós o que Ele vai fazer?Aparentemente não, pois Ele foi até os extremos para nos revelar a Sua vontade. Será que Ele poderia ter feito mais do que mandar Seu Filho para nos guiar? Ele poderia ter feito mais do que nos dar Sua Palavra para nos ensinar? Ele poderia ter feito mais do que coordenar eventos para nos acordar espiritualmente? Ele poderia ter feito mais do que enviar Seu Espírito Santo para nos aconselhar?

Deus não é o Deus da confusão. E, onde Ele vê pessoas que O buscam com corações sinceros, embora confusos, pode apostar o que quiser, que Ele fará o que for necessário para ajudá-las a ver Sua vontade. Foi isto que Ele fez no caminho para Emaús.

Todo mundo estava on-line, e eles estavam a pé. Eles viram a morte de Jesus como a morte do movimento, e então fizeram suas malas e voltaram para casa. E é para lá que eles estavam indo quando Jesus lhes apareceu. Quão doce é ver Jesus aparecer na estrada. Se uma ovelha pegar o caminho errado, o nosso Pastor, que não quer que ela se desvie tanto, vem e a guia de volta para casa. Como Ele faz isso? Como Ele revela Sua vontade para nós? Pode ser que você fique surpreso com a simplicidade do processo.

ATRAVÉS DO POVO DE DEUS

O primeiro erro da dupla foi descartar as palavras de seus companheiros discípulos. Deus revela Sua vontade através de uma comunidade de crentes. Na primeira Páscoa, Ele falou através de mulheres, que falaram para outros. “Algumas das mulheres entre nós nos deram um susto hoje. Foram de manhã bem cedo ao sepulcro e não acharam o corpo dele. Voltaram e nos contaram ter tido uma visão de anjos, que disseram que ele está vivo.”(Lucas 24:22-23).

O plano dEle não mudou. Jesus ainda fala a crentes através de outros crentes. “O corpo inteiro depende de Cristo, e todas as partes do corpo são interligados. Cada parte tem sua função de modo que o corpo inteiro cresça e se fortaleça em amor” (Efésios. 4:15)

Quando eu estava dirigindo para meu escritório hoje de manhã, meu olho viu um semáforo. Os sensores dentro do meu olho perceberam que a cor da luz do semáforo era vermelha. Meu cérebro checou meu banco de memória e anunciou o significado de luz vermelha para o meu pé direito. Meu pé direito respondeu soltando o acelerador e pressioando o freio.

Mas, e se meu corpo não tivesse funcionado corretamente? E se meu olho tivesse decidido não ser mais parte do corpo porque o nariz o magoara? E se o pé tivesse se cansado de receber ordens e decidisse pisar no acelerador ao invés do freio? E se o pé direito estivesse doendo e por orgulho não dissesse nada ao pé esquerdo, e este não soubesse que precisava ajudar? Em todas essas situações haveria um acidente.

Deus deu uma tarefa a cada parte do corpo. Uma maneira através da qual Deus lhe revela Sua vontade é através da igreja. Ele fala a um membro do Seu corpo através de outro membro. Isso pode acontecer numa aula Bíblica, num pequeno grupo, durante a ceia, ou na hora da sobremesa. Deus tem tantos métodos quanto pessoas.

Por sinal, é por isso que Satanás não quer você na igreja. Você já notou, não foi, que quando você está fraco espiritualmente você também começa a andar pela estrada de Emaús. Você não tem interesse em estar com outros cristãos. Ou se você vai à igreja, você entra e sai do culto, usando desculpas como comida para preaparar ou trabalho a fazer. A verdade é que Satanás não quer que você ouça a vontade de Deus. E já que Deus revela Sua vontade aos Seus filhos através de outros filhos, ele não quer você numa igreja. Nem tão pouco quer que você leia a Bíblia. O que nos leva a outra maneira pela qual Deus revela Sua vontade... (Próximo capítulo: Como Deus revela sua vontade através da Palavra).

Leia também de "Como Conhecer a Vontade de Deus" e veja imagem Jeremias 29:11


  Copyright © 2013 Max Lucado. Esta tradução Copyright © 2013 Germana Downing. Todos os direitos reservados.