Por que você está chorando?

de Henry Blackaby

 



 

Eles lhe perguntaram: “Mulher, por que você está chorando?” “Levaram embora o meu Senhor”, respondeu ela, “e não sei onde o puseram”. João 20:13

Maria Madalena tinha uma intensa lembrança do dia em que Jesus a libertou do espírito maligno. Naquele dia ela virou seu seguidor devoto (Luc 8:2). Ela o observou curando os doentes e ensinando as pessoas sobre o amor de Deus. Sua vida foi transformada e ela experimentou a alegria de estar com Jesus.

Daí, o mundo dela entrou em colapso. Seu Senhor foi preso e brutalmente assasinado. As multidões que proclamaram “Hosana” no começo da semana, gritaram “Cruicifica-o” até o fim da mesma semana. O golpe final foi deferido quando ela foi ao túmulo de Jesus ungir seu corpo.

Ela viu que o túmulo estava vazio. Aparentemente, alguém havia roubado seu corpo. Enquanto ela chorou em desespero, anjos fizeram a tocante pergunta: “Mulher, por que você está chorando?”

Ela estava diante de um túmulo vazio! Jesus havia ressuscitado, exatamente como Ele havia prometido! Sabendo que Jesus estava vivo colocou tudo em perspectiva, e Maria correu, extasiada, para compartilhar as boas novas com outros.

A vida Cristã nem sempre é fácil. Há momentos alegres, caminhando com Jesus. Mas, há também tempos quando nada faz sentido e quando nosso mundo parece desabar.

O mundo irá zombar do seu Senhor. E você pode ficar desanimado. Nestes tempos você precisa olhar de novo para o túmulo vazio. É túmulo abandonado que nos dá esperança, pois simboliza a vida que seu Senhor ressurectio lhe deu. O túmulo vazio promete que nada, nem a própria morte, pode derrotar os propósitos do seu Senhor. Será que você está chorando ao lado de um túmulo vazio?


Veja também de Henry Blackaby "Tome a sua cruz".

Do livro "Experiencing God Day by Day" (Experimentando Deus Dia Após Dia), Copyright 2006 de Henry e Richard Blackaby. Este artigo foi traduzido por Dennis Downing para o site www.iluminalma.com. Esta tradução é Copyright © 2013 Dennis Downing para a língua portuguesa. Todos os direitos reservados.

  Copyright © 2013 Henry Blackaby. Todos os direitos reservados.