Tudo Posso Parte 2

de Dennis Downing

 



 

Primeiramente, perdão pela demora em lançar Parte 2 da nossa reflexão sobre esta intrigante passagem. Deus permitindo, partes 3 e 4 não demorarão tanto. E, queremos agradecer a todos pela resposta ao nosso pedido de ajuda para o site da iluminalma. As curtidas das imagens e textos e visitas aos anúncios têm sido uma bênção. Como forma de agradecimento, em breve teremos um sorteio de livros para os nossos leitores! Que Deus lhe abençoe e muito obrigado por todo seu apoio! Por favor, continue. Precisamos da sua ajuda todos os dias!

Em seguida vai a segunda parte da nossa reflexão sobre Filipenses 4:13 e a famosa declaração de Paulo de que "Tudo posso naquele que me fortalece." Como é que devemos entender esta afirmação ousada? Como aplicar para nossas vidas hoje? Na última mensagem, nesta, e nas próximas duas aqui na seção Vida em Cristo, vamos refletir sobre esta promessa preciosa e como ela se aplica para nós hoje. Venha nos acompanhar...

“Será que realmente 'Tudo posso naquele que me fortalece'?”

Há quatro pontos importantes que precisamos aprender desta passagem:

1. Nem tudo que eu quero, eu posso.
2. Nem tudo que eu posso, eu devo.
3. Nem tudo que eu posso, eu faço.
4. Mas, tudo que eu preciso, eu posso.

Agora vemos o segundo ponto: Nem tudo que eu posso, eu devo!

Como Cristãos, nós nos preocupamos em fazer sempre a vontade de Deus. Às vezes uma idéia chama a nossa atenção. Vemos uma necessidade ou oportunidade e logo pensamos numa solução. Oramos um pouco e depois de algum tempo começamos a criar convicção que Deus quer realizar tal obra. Irmãos e amigos, vendo que o nosso projeto é bom e espiritual, começam a nos encorajar. Todos afirmam que deve ser da vontade de Deus. Mas, será que é?

Nem sempre tudo que eu posso, eu devo. Às vezes eu terei condições de fazer algo, para o qual talvez tenha orado por muito tempo e desejado profundamente. Quando vejo as condições, logo penso que é isso mesmo que Deus quer. Mas, pode não ser. Vemos três exemplos da vida de Davi, um homem que vivia segundo o coração de Deus (Atos 13:22). Em cada exemplo Davi descobriu que o que parecia uma resposta de Deus, não era.

1 Sam 24:1-7 Davi, o ungido de Deus, estava sendo injustamente perseguido por Saul, um rei que foi desobediente e rejeitado pelo Senhor. Certamente Davi queria se livrar dessa perseguição. No episódio relatado em 1 Sam 24:1-7, Saul caiu nas mãos de Davi e Davi podia ter acabado com Saul e toda sua perseguição injusta.

Os homens de Davi disseram que aquilo era o cumprimento de uma profecia. Por um momento Davi até acreditou e agiu conforme o parecer dos seus homens. Parecia uma bênção de Deus. Só Deus podia ter colocado Saul em suas mãos assim. E os homens de Davi afirmaram que era o cumprimento da palavra de Deus.

Davi, por um instante, podia fazer o impossível. Mas ele escolheu não fazer. Será que ele desperdiçou uma grande bênção que Deus lhe deu?

1 Sam 26:8-9 Mais tarde, em outra ocasião, parecia que Deus havia entregue Saul novamente nas mãos de Davi. Abisai, o irmão de Joabe, disse: “Deus te entregou...”

Certamente Davi havia orado por livramento. Apareceu o que parecia um milagre – uma oportunidade de acabar com seu pior inimigo, uma oportunidade de por fim à injustiça e perseguição.

Davi, por um instante, podia fazer o impossível. Mas ele escolheu não fazer. Será que ele desperdiçou uma grande bênção que Deus lhe deu?

2 Sam 7:1-3 Davi queria fazer algo para Deus – edificar um templo para Ele. Nada indica que os motivos de Davi eram impuros ou que àquela altura da sua vida ele não seria digno de fazer tal empreendimento.

O profeta Natã até afirma que Davi deve ir em frente com seu plano. Efetivamente, o porta-voz de Deus afirma que o desejo dele é certo.

Mas, logo em seguida (vv. 4-5, 12-13) descobrimos que aquilo de fato não seria a vontade de Deus e que Davi não devia construir aquele templo.

Davi havia começado como um simples pastor de ovelhas. Ele sobreviveu vários anos de perseguição por um rei cismado em matá-lo. Ele lutou depois contra vários inimigos e venceu todos. Finalmente Deus lhe havia dado descanso e prosperidade.

Davi queria fazer algo bom para Deus para demonstrar sua gratidão. Davi finalmente podia fazer o que, por anos, parecia ser impossível.

No entanto, não era a vontade de Deus.

Nem tudo que parece ser da vontade de Deus é. Nem tudo que é bom é necessário.  

Embora tenho lutado e me empenhado contra grandes obstáculos, preciso estar preparado para esta verdade - nem tudo que eu posso, eu devo. Portanto, dizer que "tudo posso naquele que me fortalece", nem sempre significa que naquilo que eu posso - eu devo. Há coisas que posso fazer que não cabem a mim.


Veja também de Dennis Downing: Como Conhecer a Vontade de Deus
e "Tudo Posso Naquele que Me Fortalece" Parte 1.



Copyright © 2014 Dennis Downing. Todos os direitos reservados.